2º | TURMA G

2011

Em Breve!

2010

Fazer Filosofia é mais do que estudar conteúdos da história do pensamento humano. É muito mais do que estudar filósofos ilustres. Fazer Filosofia é exercitar o pensamento livre, autônomo e responsável!

Turma G | Pensando Bem!

. . .

Se existisse um meio de voltar atrás nós nunca aprenderíamos a seguir em frente.

Camila Rossi | Pensando Bem!

. . .

O que podemos fazer para mudar o mundo? A cobrança é notória a nós adolescentes e aos adultos que nos cobram. Somos sonhos de outros e somos também nosso próprio sonho. Somos sonhos moldados de acordo com as nossas vontades (corretas ou não), pois não significa que se realizar é apenas uma questão de ser bom: muitos se realizam de outra forma. Vale lembrar, entretanto, que temos que nos realizar perante a nós e também frente à sociedade, porque somos integrantes e modificadores dela.
A nossa realização é fundamental para a realização da nossa felicidade: uma depende da outra. Assim, faz-se necessário nos encontrar no que realmente somos felizes.

Júlio Cezar | Pensando Bem!

. . .

Gostaria de convidar você, amigo pensador, a refletir sobre um assunto bastante interessante: por que será que Deus criou o homem, se, sendo onisciente, Ele já sabia que o homem iria pecar? Primeiro, dê uma olhada em 1º Coríntios 13:1-10. Viu? Amor. Este é realmente o dom supremo. Sem amor, nada adiantaria… E esse amor, exatamente ESSE AMOR foi o sentimento que Deus possuiu quando resolveu nos criar… Ele nos criou com o propósito de ter uma família de muitos filhos semelhantes a Ele! Uma família! Isso não é mesmo MUITO amor?

O Pai nos amou, nos escolheu para vivermos uma vida com Ele, uma vida ETERNA com ele, de eterna alegria, eterna adoração, eterno amor… Mas, então, o homem pecou. Talvez muitos ainda se perguntem qual foi o verdadeiro motivo pelo qual o homem resolveu deixar tudo aquilo – todas as maravilhas que Deus o oferecia na eterna comunhão com Ele – quando pecou (Ora, estava perfeitamente claro para o homem o que o colocaria em pecado. Dê uma olhada em Gênesis 2:16,17. No entanto, o problema é que o homem não sabia que seria apartado de toda aquela maravilha. Ele apenas achou que se comesse do fruto daquela árvore proibida, se IGUALARIA a Deus, não precisaria mais ser dependente do Pai.

Independência. A palavra certa para definir aquele pecado que levou o homem a se afastar do Senhor. Mas a nossa pergunta ainda não foi respondida, não é mesmo? Então; se Deus sabia de tudo isso – que o homem se tornaria independente, que ele desobedeceria, que ele seria rebelde -, por que, então, Ele criou o homem? O fato é que Deus não queria que nós fossemos “robôs”. Ele nos criou para viver eternamente com Ele, adorando-o. Mas como poderíamos adorá-lo se nós mesmos não tivéssemos vontade de fazê-lo? Deus queria que o amássemos da mesma forma como Ele mesmo sempre nos amou, mas que fizéssemos isso por livre e espontânea vontade! E então nós fomos fracos e independentes, traidores no pecado, e mostramos que não éramos dignos de receber tamanho amor do Pai.

Por mera independência, vontade própria, rebeldia, fomos separados da glória de Deus… (Romanos 3:23). Amigo, já chegamos à resposta, mas creio que algo ainda está no ar: Será que há uma solução para voltar ao Senhor? Apenas volte a Romanos 3 e leia o versículo 24. Jesus. A solução para tudo o que aconteceu, a PONTE que finalmente pôde nos trazer de volta à presença de Deus. Ele, que foi o único Santo, isento de qualquer pecado ou engano (1º Pedro 2:22), se entregou por nós, para morrer em uma cruz e JUSTIFICAR todos os nossos pecados. Volte agora a 1º Coríntios 13. Leia novamente os versículos de 1 a 10, só que dessa vez substituindo a palavra “amor” pelo nome “Jesus”.

Sim, Jesus é o amor. Ele SEMPRE foi o amor e sempre o será; desde o princípio e para sempre, de eternidade em eternidade. Jesus. A solução para todos os problemas do mundo. A solução para a sua vida e para a minha, o verdadeiro amigo que está lá, nos ouvindo, sempre que precisamos. Isso mesmo. O glorificado e exaltado filho de Deus, que morreu e ressuscitou, e hoje está à destra do Pai, aguardando o dia em que voltará para buscar a sua igreja. Jesus, a representação viva do amor; desse amor que está tão pertinho de você, apenas esperando-o deixá-lo entrar em seu coração.
Jesus nos amou primeiro. Então, vamos amá-lo também.

Não sejamos meros robôs. (João 3:16,17)

P.S. Quem ler, entenda! 😉

Nathália Matos Limoeiro | Pensando Bem!

. . .

Rastros de Esperança

Ao pensar no futuro sempre há algo que me assombra internamente. É uma sensação de insegurança e uma tempestade de “e se” me atormenta. Não sei mais descrever como me sinto; afinal, seria cansativo desencadear mais de trezentos adjetivos que pudessem representar essa sensação. Então, sejamos breves.

A esperança é, de certa forma clichê, a única a me confortar no meu universo de dúvidas. Por esta ser conhecida como a última que morre, a chama que nunca se apaga, o último carneirinho a pular a cerca (essa eu inventei agora) e não sei o que mais, talvez tenha mesmo a obrigação de me acariciar com seu dom. Mas o que mais poderia ser a esperança se não um argumento que usamos para confortar um amigo em meio a uma situação de desespero? “Fique tranquilo, tudo vai melhorar, é só ter esperança”. Nesses momentos em que nos comportamos como “os confortadores”, achamos que isso é tudo e que essas palavrinhas mágicas vão dissolver o problema do próximo. Não nos damos conta que isso de pouco adianta quando não adianta de nada. Talvez só àqueles que estejam com um conflito superficial e, por isso, um conselho também superficial iria servir.

Acredito firmemente que há uma ação de dupla troca nesse sistema. Tanto “o confortador”, com o seu poder de acalmar a aflição do outro, quanto “o confortado”, com sua aflição íntima que não cabe a ninguém entender, mas que ainda assim a divide em parte com alguém, trocam favores entre si. O indefeso “confortado” vê no outro uma chance de ter um pouco da sua atenção, agradando a si próprio, como ainda dá ao outro a chance de ser o conciliador (o Dalai Lama da situação), alimentando seu ego. Alimentando ambos os egos. Todavia, é disso que vivemos: da troca de favores, dos interesses simultâneos, da eterna relação entre “confortador” e “confortado”, da esperança falsa ou verdadeira que sempre nos acompanha.

No entanto, a esperança não é só isso. A esperança é muito mais, é o que nos enche os olhos quando olhamos além do horizonte, é o nos preserva, nos mantém bem com nós mesmos. É o que alimenta os sonhos, e que bom é sonhar. Eu, por exemplo, espero que no futuro quando eu estiver mais velha, possa olhar para trás e pensar: “como fui boba naqueles tempos; como agi de forma imatura; como venci”. Mas será que vai ser possível? Ver todas as coisas que me afligem dissolvidas e enterradas no “Cemitério das Lembranças”. Essa esperança eu tenho, e nunca deixarei de ter.

Imagino só como será bom poder pensar em como estudei tanto para passar no vestibular, tantas coisas inúteis e, depois de passar, poder esquecer tudo e não mais me preocupar com a prova de Física ou Matemática. Pensar que aquele garoto que era minha dúvida eterna, foi facilmente apagado da minha vida, ou quem sabe foi facilmente inserido na minha vida. Tenho esperança de poder ter por perto grandes amigas da adolescência, e que apesar das dificuldades das rotinas divergentes, ainda possamos nos encontrar muito e manter contato. Não me preocupo com a carreira que irei seguir, pois tenho certeza que escolherei algo que seja do meu gosto e interesse. Essa é a esperança que há em mim, de uma vida próspera em que ao lembrar das coisas do passado, eu apenas vou rir, com saudades até do que me foi um problema. Espero um dia ser “o confortador”, mas também “o confortado”.

E você, tem esperança de quê?

Camile Santa-Rosa | Pensando Bem!

. . .

“No tear que tece nossas vidas, não exitem pontas soltas, todos os fios estão sempre interligados e cobertos por informações”.

Rodrigo Sampaio | Pensando Bem!

. . .

Anúncios

1 Comentário

  1. Adailson | Prof. | said,

    Êita gente inteligente que me enche de orgulho!
    Não sei se choro de plena alegria ou se apenas sorriu da mais absoluta felicidade por ter a sorte de poder fazer parte da vida de vocês.
    Sei apenas que me emociono, e muito!
    Parabéns!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: